Capítulo VI – Onde está o Wally?

March 6th, 2009 Filed under: Folhetim by Maria Antónia Oliveira & António Néu

Mãe, Viseu, 6 de Janeiro de 2009:

Zé Miguel, meu querido filho,

Como andas muito ocupado, e nunca tens tempo para estar ao telefone, resolvi escrever-te. Assim, sempre mato um bocadinho as saudades, que são muitas, enquanto aqui distante me sento no teu quarto. Quando estiveste cá no Natal, mal falámos: é sempre tudo a correr!

Fiquei com o coração cheio de alegria com as tuas notas! Sei que o teu pai também ficou orgulhoso, embora não tenha mostrado. Sabes que não é do feitio dele. O pai não anda a pensar tanto. Pelo menos parece-me.

Encontrei no outro dia a Dona Filomena no Rossio, que tem um sobrinho a estudar na tua escola, e diz que gosta muito, que é uma escola muito boa e moderna. Ainda bem. Os tempos estão difíceis para arranjar emprego, meu querido, por isso é bom que andes num curso com futuro. E quanto ao emprego no call center, não andes amargurado, filho, que melhores oportunidades hão-de vir.

A tua irmã fala muito em ir também estudar para Lisboa e diz que quer ir viver contigo.

O tempo por aqui voltou a arrefecer bastante, hoje está de chuva, embora não seja impertinente. Está um vento horrível, até me empurrava quando fui de manhã ao mercado.

Este ano meti-me nos saldos. Havia por cá umas coisas de que gostava. Comprei um casaco comprido verde escuro, mais um casacão preto e branco, um casaco pérola e uma camisola preta, mais uma saia preta canelada de malha, e outra saia e blusa de malha azul turquesa. Parece um enxoval. Como tinha cá os 200 euros escondidinhos (lembras-te, querido?), fui comprando. A saia e a blusa ainda não mostrei ao pai, porque sabes como ele é, gosta de saber tudo. Disse-me ele, parece que tens aí uma máquina de fazer dinheiro. Disse-lhe que tinha 50 euros esquecidos. Ele não repara em nada que gaste (também não gasto mal gasto), o que quer é apontar tudo.

Estamos a pensar em ir a Lisboa no Carnaval. Gostávamos de ficar numa pensão ao pé de ti, não sei se há no Bairro Alto para nós, tu dirás. A tua irmã viu na internet a Pensão Londres e diz que é perto de ti.

Saudades e beijos da tua mãe que te adora.

*
*      *

Suely, Romana Cabeleireiros – Amadora, 6 de Janeiro de 2009:

Pois é minina, essas unhas estão uma desgraça! Não é que eu seja de dar unhada não. É que ontem foi noite de Lugar às Novas, e a coisa estava fervendo. Tinha uma gente do Bairro Alto também, tudo muito apertado, minina, que rompi meu collant logo de entrada. Ai, olha aí, que está me arrepelando!! Cê capricha, hem? Faz meu penteado de Audrey Hepburn, vai. É um sucesso!

Pois é. Ferveu pra caralho. Até me peguei com aquela puta suburbana da Soraya. Cê conhece ela? Sim, a grandalhona, sim, sim, mais parecendo um comando. É isso aí. A porca quer tudo para ela. Imagine você que descolou um minino – uma gracinha! – e veio para mim pedindo reforço: que o minino estava grosso, que estava precisadinho de energia, patati patatá. E eu peguei a mão do minino e levei ele pro banheiro. Era bem bonitinho! E obediente. Um pouquinho assustado. Pois é. E aquela pega da Soraya vai de arruinar tudo. Sim, as unhas também, olha para isto, vou ter que pôr unha falsa! E então, estava eu de cartão na mão preparando tudo, a Soraya vai e bota a mão no pau do minino. Queria fazer chamada para Tóquio, logo ali! Eu estava dando o produto – e ela aproveitando? Dava não! Levou logo ali um tapa. O minino ficou ali especado, com aquilo pendurado, meio teso – que ele era bem dotado, isso era. Tadinho! Pois nós as duas brigando, o cartão voando pelo cano e o pássaro fugindo. Quando saí, nem sinal do minino. E eu toda descabelada, que vergonha! Então eu virei para a Soraya, de raiva, e rasguei a camisa Chanel dela, só para ela ver. Mas olha só a minha unha como ficou! Eu confio em você, minina, para isso ficar um requinte. Hoje tenho show. Credo, minina, estou é precisando de um shaving total! Estou parecendo mais é um urso! Hum, mas aquele minino Zé Miguel não me escapa não.

*
*      *

Tânia, Palolem – Goa, 10 de Janeiro de 2009:

hello susana

estou-te a escrever de palolem. pois é, agora a cena é aqui, anjuna já era. isto é liiindo! as pessoas são lindas e até os cães são lindos. ehehehe. ontem fui a uma party de fones. não vais acreditar. agora, por causa da lei do barulho depois das 10 da noite, há umas festas que são as silent noise em que dão uns fones sem fios e cada um escolhe o dj que quer ouvir. cada fone tem uma luz para indicar quem estamos a ouvir. é super-cool.

estou nuns bungalows na praia com o bernardo. estamos fixes, ele é mesmo energia positiva. a propósito, tens visto o zé miguel? quando saí de lisboa, achei-o um bocado marado. não sei se lhe faz bem trabalhar na noite. assim não sei onde vai parar.

sabes que eu preocupo-me com ele. acho-o um puto fixe. é claro que o bernardo é mais o meu género. ele agora anda a praticar leituras e a procurar sítios com energia positiva. ainda agora o deixei no sunset point com um casal de australianos muito shanti. eu é que já estava um bocadinho farta. estão para ali a fumar shilons e não dizem nada.

bem, vou dar um mergulho. gostava tanto que estivesses aqui para falarmos!

joca, tânia

Susana, Estoril, 16 de Janeiro de 2009:

olá tânia querida

estou cá com uma inveja! tu aí e eu a estudar para os exames. que seca! e está um frio que não imaginas. estão, tipo, 2 graus. e não pára de chover.

pois sabes ontem fui à capela e lá estava o zé miguel, todo inchado e importante. quase nem me ligou. estava sempre, tipo, encostadinho ao balcão a falar pra uma pirosa a quem chama a sua jennifer lopez. pelo menos foi assim que ele ma apresentou. imagina que parvo! havias de a ver. mede tipo um metro e meio. e com um ar de cabeleireira… não sei aonde é que ele quer chegar.

também o vi noutro dia, estava eu na bicha do lux, a entrar com ela e com um gajo que toca na capela e bué malta, todos a entrarem na boínha. nem me viu.

parece que anda muito saído. um amigo do nexter disse-me que o viu no finalmente a uma segunda-feira, tipo com uma grande bebedeira.

bem, já chega de falar dele. minha amiga, tu diverte-te e caga nele. aproveita. ai quem me dera estar aí de molho e com calor.

mil beijos minha linda

vamos falando susana

Tânia, Palolem – Goa, 17 de Janeiro de 2009:

oi susana

vim agora do cheeky chapati (uns pequenos-almoços maravilhosos!) e li o teu mail. então achas que ele anda com essa?!!!! não posso acreditar! que desgraçado, meter-se com uma pirosa qualquer! só espero que ele não a leve lá para casa! achas que sim? só de imaginar a gajinha a bisbilhotar nas minhas cenas!

olha que até tive uma insónia. e não tinha tomado nada! caralho. o bernardo a perguntar-me o que é que eu tinha e eu não lhe pude dizer, sabes como ele embirra com o zé miguel desde que ele o chamou hippie beto e mais não sei quê, lembras-te? ai ai. acho que vou fazer uma massagem ayurvédica… ou então um banho de sal grosso que costuma dar-me muito resultado para limpar as energias negativas. tenho uma festa hoje ao pôr do sol e não posso estar praqui a ralar-me com esse cabrão!!

minha querida fica bem e boa sorte para os exames!

beijos grandes, tânia

*
*      *

Carina Gomes, Seixal:

Terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

Hoje o dia parecia que não chegava ao fim! Isto de sair à segunda-feira não dá mesmo. A loja, uma confusão com os saldos. O Manel da secção de homens não me larga. Eu é que não sei se estou para aí virada. Ele até é engraçado, mas não tem nível nenhum. Dá a ideia que vai dobrar camisolas o resto da vida, todo contente.

Ontem à noite disseram-me que eu sou parecida com a Jennifer Lopez. :)

Quinta-feira, 8 de Janeiro de 2009

Lá voltei a sair, com trabalho no dia seguinte. Não tenho juízo nenhum. Mas pelo menos conheci um rapaz giro. Foi aquele que me tinha dito que eu parecia a Jennifer Lopez. Desta vez falei mais um bocado com ele. Trabalha na Capela e estuda na ETIC, mas diz que anda a preparar-se para ser DJ. Conhece imensa gente! Ri-me tanto com ele! E estive toda a noite a beber vodkas à pala. ;)

Convidou-me para ir ao Lux amanhã, ver uns americanos que ele diz que são muito bons. E diz que, como vou com ele, não pago entrada. A Yen Sung também toca nesse dia e eu adoro-a, os americanos não conheço, o Zé Miguel (é o nome dele) diz que é disco. Vou reservar aquele top roxo. Fica a condizer com a minha tanga de renda. Nunca se sabe…

Domingo, 11 de Janeiro de 2009

Ai nem sei por onde hei-de começar! Ele é tão fofo!!!! Acho que desta é que é! Ai ai ai ai ai. É muito carinhoso, muito diferente… Acho que estou a ficar apanhada…

Bem, foi assim: fui ter com ele à Capela, e bebemos logo um tirinho com o dono, que é muito giro também. Começou a juntar-se imensa gente conhecida e fomos todos para o Lux quando aquilo fechou. Eu já ia acelerada com tanto tirinho, mais os vodkas que ele me oferecia. Chegámos lá e entrámos logo! Foi incriiiivel!! Passámos à frente de toda a gente!

O Zé Miguel apresentou-me imensa gente. Estava sempre a ir buscar-me bebidas, tão querido! Dançámos tanto!… Eu adoro dançar. E falámos muito também. Disse-me que está muito carente e que se sente muito só. Oh como eu o compreendi!

Estava mortinha por que ele me convidasse, mas tive de me fazer um bocado difícil. Já nem me lembro bem como foi, o certo é que acabámos em casa dele, no Bairro Alto. E claro que dormimos juntos.
Foi ma-ra-vi-lho-so!!! Senti-me a mais completa mulher! Há uma química entre nós… Não consigo tirar da cabeça a tatuagem que ele tem na anca! E de manhã acordei com ele em cima de mim, e ele próprio diz que nem se apercebeu como!

Passei o fim de semana com ele, no Bairro Alto. Separámo-nos há bocado, e sinto-me a flutuar!

Ainda bem que levei a tanga de renda!

(Continua)

Maria Antónia Oliveira & António Néu

Publicado originalmente no jornal Lux Frágil nº6 / Março 2009

Leave a Reply