Capítulo VII – “Só quero entrar na tua cabeça”

April 7th, 2009 Filed under: Folhetim by Maria Antónia Oliveira & António Néu

Cervejas, iogurtes, leite, manteiga, tomates, ovos… Hmmm… este parafuso está mesmo a cair. Falta cá a Taniazinha para dar conta destas merdas. Bolachas, massa, atum. Prontos já está. Um cigarrinho no sofá, que bem mereço. Pufff, finalmente, que sossego! Essa é que deve estar bem, sem se ralar com nada. Também nunca se rala… Mensagem? Outra vez? olá fofinho querido o que fazes logo? Foda-se, lá vem ela com as fofices. Isto já está a complicar-se. Agora é todos os dias? Tenho de ter uma conversa com ela. E é hoje mesmo. Não posso estar sempre a adiar estas merdas. Ainda por cima a Tânia deve estar aí a voltar e não vai gostar nada de a ter cá por casa… Estou mesmo a vê-las a tomar o pequeno-almoço juntas. Livra. O que é que eu lhe respondo? Merda, este isqueiro já não funciona. Foi aquele cabrão que o gastou a fazer charros. Ainda por cima chaimite. Bem, logo respondo. Também ela não ajudou nada quando os pais estiveram cá. Sempre a querer aparecer… e então aquela cena de aparecer no restaurante com a amiguinha! Eu é que fui parvo, não tinha nada que lhe dizer onde íamos ou deixávamos de ir… A amiga não é má… A mãe percebeu tudo, de certeza. E com as bocas da Belinha… Até o autista do pai deve ter percebido. Que se lixe. Com isso posso eu bem. O pior foi ter de fingir que continuo a ir às aulas. Fico bué enrascado de mentir. Principalmente à mãe, coitada. E quando ela se cruzou na escada com o travesti cá de cima? A cara dela! Mal ela sabe por onde eu andei no outro dia… hmm… a cerveja ainda não deve estar fresca. Aquelas, se me apanham, estou fodido. Não posso voltar ao Finalmente. Também não sei o que me passou pela cabeça, meter-me assim na casa de banho com dois travestis assanhados. Estava marado, é o que é. E o cabrão do Nuno que não se cala com esta merda… o que me vale é ter aparecido a Jennifer, senão andavam todos aí a chamar-me paneleiro. Foda-se. Já bastou aquela cena em Coimbra! Que cena marada! E ainda tive de levar com a outra armada em psicóloga das minorias a querer-me fazer uma terapia! Bem, o melhor é telefonar à Jennifer.

— Olá Carina. Podes falar?

— Oi fofinho!! Que estás a fazer? Estava mesmo a pensar em ti. A noite de ontem foi maravilhosa, não foi?

— Hum hum.

— Olha, já arranjaste os convites para a Moda Lisboa?

— Ah, pois. Ainda não. Vou tratar disso logo à noite.

— Ó querido, era tão bom irmos os dois!… Eu adorava ir. E tu conheces tanta gente… Se arranjares a mais, era bom para aquela minha amiga, sabes, que eu te apresentei no restaurante?

— Pois, bem me lembro, sim, quando me fizeste aquela cena.

— Ó fofo, não te zangues. O problema foi só na tua cabeça. Os teus pais adoraram-me! Vou lá ter contigo logo à noite, está bem?

Prontos já está. Mas onde é que eu agora vou arranjar convites para a Moda Lisboa? Que seca!! Não vou andar outra vez a meter a mão na caixa do correio do vizinho e a fazer figuras tristes… Que chata, mais a maquilhagem Dior, e a lingerie da Tezenis, e os peluches! Enche-me a casa de peluches, olha para isto! Que piroseira! Mas tem um belo rabinho, lá isso tem. A amiga também não é má… As duas juntas devia ser um espectáculo… Hum… Hum… mmmmmm… Ah… Uma de cada lado… e eu de cabedal… eheheh. Bem, a cervejinha já deve estar fresca. Que horas são? Não tarda tenho que ir trabalhar, que isto com os novos horários… Com esta merda, nem tenho tempo para pensar no meu set! E isso é o que importa! Se quero vencer, tenho que me aplicar. Mas onde é que eu arranjo tempo? Ai caralho, ainda não fui às finanças!! Onde é que eu meti os papéis?… Xi, este quarto está um caos! Olha, mais uma cueca roxa… e suja! Mmmm… Aquela amiga é mesmo boa… Olha o carregador do iPod! O que eu procurei esta merda! Bem, agora já não dá tempo para carregar… Telemóvel, carteira, blusão… as chaves, as chaves…

O cabrão do senhorio nunca mais arranja a puta da luz! Falta a Taniazinha para apertar com ele… Aquele Bernardo é um betaço! Era lindo era que o travesti do terceiro fosse amiguinho dos outros… ui. Isto com um arame curvado era capaz de dar melhor do que a meter a mão. Isto é gajo para receber convites para a Moda Lisboa… Ainda vou preso por violação de correspondência… Ai a minha mãe… tarararará tarararará tarararará tarararará tarararará Dar a mão à palmatória Segui lesto a oratória tzzzzk tzzzzk Aaaa-amanhã tzzzzk tzzzzk Porquê só amanhã buop buop tzzzzk tzzzzk Porquê só amanhã tzzzzk tzzzzk buop buop Bem bom tarararará tarararará tarararará

— Zé Migueeel!

— Olá Pedro! Já saíste? Tão cedo?

— Ya man. Estão lá os gajos da desratização e então saímos todos mais cedo. Nem sei como. Distribuíam umas máscaras e ainda fazíamos mais uns logótipos… Eheh… Dizem que os ratos são os últimos a abandonar o navio mas estes são teimosos. Eheh… Bora aí beber uma cervejinha.

— Eh pá, vou trabalhar. Vem aí, bebes lá, eu ofereço-te uma cerveja e pomos a escrita em dia.

— Boa. Quem é que está a tocar?

— É o Muppi. Anda, que é animado.

tarararará tarararará tarararará tarararará tarararará Bem bom perceber hoje Porque não tenho nada para dizer Pensar em sair de cena tzzzzk tzzzzk buop buop Balançar a cabeça para a cama tzzzzk tzzzzk buop buop tarararará tarararará tarararará tarararará tarararará

— Curtes Aquaparque?

— Eia man! Curto bué! Viste os gajos no Museu do Chiado?

— Não, estava a trabalhar!… Não tenho tempo para nada. Foi fixe?

— Foi cool. Estava lá a malta toda! Já os conhecia, mas agora têm estes cânticos… Eles eram muito mais experimentais e abstractos dantes, agora os temas são mais estruturados, aproximaram-se mais do formato canção.

— A número dois não me sai da cabeça. Bem, cá estamos, entra. Olá Manel. Tudo calmo? Pedro, queres cerveja ou imperial?

— Imperial, thanks. Então e os teus projectos de seres DJ?

— Eh pá, vou ter a minha estreia para a semana! O Nuno Paz convidou-me para tocar com ele!

— Ai é? Fixe. Quero ir ver! Onde é?

— No Lounge. Na quinta-feira. Vamos fazer um ping-pong. Ando a treinar o set.

— No Lounge? Ena! Qualquer dia estás no Lux!

— Eh pá, pois é! Mas não brinques, isso ainda há-de ser! Estou bué da nervoso! Tem de correr bem!

— Vai correr. Dá aí lume.

Este gajo é que se calhar me desenrasca uns convites para a Moda Lisboa. Anda sempre todo estiloso… Gelo, gin, água tónica…

— Ó Pedro, vais à Moda Lisboa? Não arranjas uns convites?

— Eh pá, eu conheço um gajo que trabalha para a moda e até é meu amigo no facebook, mas depois cá fora é o que se sabe.

— Ah… tenho uma amiga que queria tanto ir…

— Quem? Aquela hippie que vive em tua casa? Essa não está em Goa?

— Está, está. Ainda está muito frio para ela voltar. Não, é outra, a Carina. Acho que não conheces…

— Ai agora já é outra? Dá-me aí outra imperial. Tens mortalhas?

— Não.

— Então dá aí um cigarro.

— Eh pá, ó Pedro, como é que se faz para que uma relação não fique muito séria?

— Ai tu queres que ela te desampare a loja? Não me digas que a outra está para chegar.

— Eh pá, não é nada disso. A Tânia é só amiga, aquilo foi uma vez sem exemplo. Ó Muppi, tens os Aquaparque?

— Tu, com esse ar de sonso, comes as gajas todas! Eheheh… Olha, não sei… já lhe deste a chave? Muda a fechadura!

— Olha que isto é sério, não gozes.

tarararará tarararará tarararará tarararará tarararará Comparar arcaboiço tzzzzk tzzzzk buop buop Unhas para guitarra da tua sorte tzzzzk tzzzzk buop buop tarararará tarararará tarararará tarararará tarararará

— Olá, Adriana! Por aqui a estas horas tão diurnas?

— Oi Pedro! Como estás? Sim, estava em casa a escrever uma crónica para o Lux e estava sem ideias para acabar. Vim à procura de inspiração. Ó Zé Miguel, um copinho de vinho branco, para atiçar. Então, Pedro, vamos ao Sónar outra vez este ano?

— Isso já está combinado desde o ano passado! Fico em casa da Luísa, ela já sabe, está reservado.

— Ó Zé Miguel, aquilo é que era sítio para ti. Não sei quantas salas com live acts e DJs a acontecer ao mesmo tempo. E tudo super-estimulante, coisas de que nem ouviste falar! E as pessoas são óptimas, todas com muita onda. De dia, então, é fantástico! E Barcelona é…

— Sim, sim, já me falaram imenso no Sónar. Adorava ir. Mas onde é que eu hei-de ficar? Ó Pedro, a Luísa tem uma casa grande?

— Não é muito grande, mas há a casa da irmã… isso desenrasca-se, vai sempre imensa malta. Começa é a poupar umas coins.

Poupar, poupar… Era mesmo fixe ir com estes dois… E para a minha carreira de DJ é fundamental! Vou oferecer o copo de vinho à Adriana. Agora, agora, que o Manel não está a olhar… Que fixes que eles são, convidarem um chavalo de 26 anos como eu! tarararará tarararará tarararará tarararará tarararará Só quero memorizar cada inflexão da tua cara tzzzzk tzzzzk Nunca escolher porque me escolheste em mil tarararará tarararará tarararará tzzzzk tzzzzk No fundo, até tenho sorte! Poupar, poupar… Posso sempre dizer à mãe que tenho uma viagem de estudo… É que há muito bom design em Barcelona, toda a gente sabe. Pois, mas a mãe sabe lá disso… duas imperiais três euros obrigado Esta Adriana tem um ar mesmo interessante… é escritora… se calhar conhece o poeta… Sónar, Sónar… o Muppi também já foi. Já foram todos menos eu… Dinheiro, dinheiro… quanto será preciso? 500 euros? Poupar, poupar… se eu começar a pôr música mais vezes… tenho de preparar o set, caralho… mais um copinho para ela e uma jola para ele… foda-se, ela está-se a rir para mim será que tem namorado? Que idade terá? Estão a falar de mim. tarararará tarararará tarararará buop buop Só quero entrar na tua cabeça tzzzzk tzzzzk buop buop Só quero andar onde tu sentes tzzzzk tzzzzk buop buop Só quero entrar na tua cabeça tzzzzk tzzzzk

(Continua)

Maria Antónia Oliveira & António Néu

Publicado originalmente no jornal Lux Frágil nº7 / Abril 200

Aquaparque – Bem Bom

Leave a Reply